1.6.18

Não ter medo...


não temas seja o que for
venha o que vier
aconteça o que tiver de acontecer
porque enquanto houver vida
e dentro de nós a sentirmos pulsar
com algum conhecimento e emoção
tudo o que vier
será bom, terá merecido a pena
sobretudo se o sonhámos como justo
inventado ou desejado 
em momentos de tristeza, paixão ou euforia.
quer o acreditemos, quer não,
nada pode ser mais imperfeito
ou mais injusto
do que o que por aqui se conheceu
entre o mundo...
haverá outras vidas?
então que venham rápido
quando esta acabar
assim como a aventura perene de aprender,
 conhecer, realizar
e que espelhem 
o que de melhor se tenha podido desejar
e abram dimensões inauditas
mostrando as belezas infinitas
que, por fim, 
nos façam encontrar
em síntese
o que tenha aqui valido a pena
para dar resposta
cabal e amena
à existência da dor no amor 
sob a lua serena.

ellen guiomar