2.11.11

Flores de ipê...


Vê como sorri à vida o ipê amarelo
bêbedo de sol e de calor
e aprende com ele meu amor...

Abre à vida as corolas de cor
estremece-as  na brisa da emoção
confia ao vento sonhos de menino
lambendo do céu
 a harmonia.

Descansa desabafos 
 virgens de violência
Exausto de cansaços
inveja às aves
 a liberdade dos espaços
de que adora a inocência

O ipê a cada ano 
sabe como e quando florescer
nítido e constante
como carinho sentido 
pelo mais imperfeito amante...
Real se contido...
parco de desejos
exultante na paixão
sedento de beijos
mas livre de exaustão.