22.1.12

Correr ao sabor do momento...


O tempo corre à nossa frente
como criança  traquina inconsciente
 com grandes asas de voar

Deixa-o correr amor
deixa que o vento o leve
Se não corre a nosso favor
vai na corrente
onde tantos outros como nós
 precisam palpar a neve
e aprender a completar
o ciclo da existência...

Deixa-o correr
 inconsequente e breve
deixa-o fruir 
ávido e quente
das vagas de tormentos
e não te inquietes em vão
que a vida  é breve
- nunca leve -
mas mais que um átomo de paixão.