28.4.13

Cadeias do tempo...


Romper cadeias...quem pudera...
...não te olhes como terra ressequida...
Deixa que caia o orvalho - as lágrimas da manhã -
 e que o deserto da tua alma esquiva
sinta mitigada a sede da ternura.

06.10.2006


Sem comentários:

Enviar um comentário