6.5.13

Fazendo o tempo passar...

Sousa Pinto - mulher bordando

em gestos de infinito vou bordando o dia
com linhas variadas de esforço e solidão
sentindo a noite e a ausência de claridade 
para não despertar a suavidade
dos tons sombrios do meu chão...
 e desenhar arabescos de agonia
sobre linho alvo a corar ao sol
para esquecer da mágoa a madrugada
indiferente ao luar
indiferente à ilusão.

e bordarei a espaços tons de vida
- onde água, sol ou sonho
já não são lugar -
em linho escurecido
pelo pó das horas
restos de um nunca chegar,
ou de um partir sem mundo
que sabe sempre ser  destino vão.

2 comentários:

  1. por vezes, quando menos se espera, o sol brilha de novo, trazendo claridade aos nossos dias!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa claridade bem que suplanta a do calor acre do sol...
      Aquece a alma. Consola o coração.
      Obrigada pelo seu comentário de esperança, sempre muito perto da fé.
      Beijo.

      Eliminar