23.7.13

Frescura da manhã...


Surge fresca a manhã
E antes que o sol magoe
Lanço a alma no caminho
Onde o empedrado rijo fere
Aguçado e maninho.
A alma segue calma e fria
Até ao sol poente...
Ferida, sangrando, 
Lá ia penando...
Assim é alma de gente...

À noite, no alto azul
Estremecido e escuro,
A lua enchia-se de luz.

[21.07.013]

Sem comentários:

Enviar um comentário