29.9.13

Pétalas...


pétalas do nosso amor:
folhas ao vento
manancial de emoções
colhidas ao relento
em leves papéis avulsos
num voar

folhas voam assim
 esparsas
na placidez diurna
duma brisa
e na leveza cetim
de asas de garças

folhas 
papéis
penas esparsas...







4 comentários:

  1. Lindo poema. Como seria bom se as pétalas do amor se mantivessem sempre unidas até ao final dos tempos.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  2. Acredito que amor funciona como um cimento que liga os seres.
    Por isso, Maria, porque não?...
    Beijinhos.
    maria

    ResponderEliminar
  3. Respeito o vento como força destrutiva e criativa a um tempo...Porém temo ouvi-lo rugir,,,

    ResponderEliminar