27.10.13

Consumpção...


da fonte em que bebi 
secou a água 
à medida que avançava o verão

assim guardei dentro de mim
a agonia da sede
 sede de ti que nem sempre muda 
com as estações

a sede -  lembrança
de uma água pura 
 anseio de frescura
do poema 
não isento de mágoa 

porém translúcida e leve
como água.

sophie - [20.07.2013]


Sem comentários:

Enviar um comentário