15.11.13

Noite calada...


na algidez da noite calada
saio ao teu encontro
não estás
talvez me encontres
me oiças
talvez
não repousa junto ao meu
teu corpo nu e quente
não há abraço 
só ternura ausente
e porque nada já pode ser igual
a algidez da noite
torna-se letal 
entorpecente

Fábio Espinosa

1 comentário: