13.1.14

Tudo é de outros

Já não sinto o azul ou o sopro do vento
Não distingo  sequer a escuridão
Ou a penetro em busca de ilusão...
Vitrifiquei na luz dum poente inexistente
Por ali me quedei.

Nada é meu...foi meu...
Tudo é de outros
Nem a mim pertenci ou fui fiel
Quando a dor me venceu  - 
- Tronco destroçado na arena dos dias
Que nem o calor do sol aqueceu 

Depois... o sol desceu.

6 comentários:

  1. Tudo é nosso...ainda que não o saibamos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada é nosso, ou tudo e nada se confundam.
      E, se o tudo existe é o nada que se torna presente.

      Eliminar
  2. Tudo é nosso ou nada é nosso,
    Depende do ponto de vista...
    Mas o poema é magnífico, gostei imenso das tuas palavras.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada, Nilson.
      Só é um pouco nosso o que conquistámos com esforço. E continuamos a amar.
      Beijo.

      Eliminar
  3. Querida amiga
    Mais uma linda semana recomeçou
    Mais uma vez o sol brilhou
    Para nos abraçar com sua cor
    Sobre cada flor
    Fazendo com que tudo fique mais belo e colorido.
    Trazendo a alegria para viver a nossa vida com mais serenidade e alegria.
    Desejo a você minha paz e alegria para seu coração.
    Abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada por sua mensagem.
      O sol traz um sorriso a cada planta que sonha com a sua flor...
      assim aconteça para si também.
      Abraço.

      Eliminar