14.5.17

Névoas sobre a serrania...



De repente, sobre a densa serrania, 
A tarde cai e o vento é frio.
Uma densa neblina desce sobre as escarpas 
Escravizadas à primavera 
Que entanto se anuncia.
Um coração ritmado e quente 
Estremece no entardecer enregelado, 
Suspiro que enternece 
 Pelo vão reencontro ansiado, 
Vã é a tentativa de esquecer 
Madrugadas sombrias 
Em longos  invernos
Donde os pássaros fugiram 
Levando consigo, nas asas penugentas,
Lembranças de um distante-sempre- presente-passado
De um alguém ausente.
Porém, eterno enquanto a vida dure.

Sem comentários:

Enviar um comentário